MEDO DO NOVO? NÃO NA POLÍTICA!!!

Semana passada o Jornal Estado de São Paulo divulgou uma pesquisa do Ibope, pelo qual me identifiquei nos números apresentados. Realmente faço parte deste grande grupo. O tema da pesquisa era sobre a identificação dos eleitores brasileiros com os partidos políticos existentes, até a última eleição. Atentando que o destaque da pesquisa é para a preferencia do eleitor e não a militância nos partidos.

Apresentaram gráficos históricos de eleições anteriores, dados, números e fatos para compreender o sentimento do eleitor, repito não dos militantes partidários. Pois neste círculo, parece que muitas vezes esquecem seu dever cívico ou de cidadão e se tornam soldados de uma fé questionável por quem está de fora, no caso um mero cidadão político eleitor.

Para mim de forma pessoal, e por esta razão é que destaquei a minha identificação, ainda que fosse nítido nos resultados das últimas eleições, mas muito difícil de admitir pelos políticos de carreira, que insistem que voto nulo, branco e abstenção são inúteis. Até acredito a falta de utilidade para todos aqueles acostumados com a mediocridade e oportunismos já que de outra forma jamais conquistaram estes espaços, pois os mesmos já disseram em alto e bom tom: Não!!!

É isto mesmo!!! Para todos aqueles que ainda estão céticos em relação ás mudanças, na política dos dias atuais não tem espaço para O Velho, entretanto é um mercado para O Novo. A principal curva e de maior destaque é a que correspondia aos últimos 20 anos e retificada pelas tendências, apresenta que 40% dos eleitores que não têm simpatia por nenhum dos partidos existentes. O que podemos até generalizar como; Não acreditam na política no Brasil.

Também não possamos culpa-los diante a tantos escândalos de corrupção o desgaste político de indivíduos e pessoas, em que outrora lhes foi conferida a confiança e que no momento que a quebram levam por vezes o cidadão de conduta reta a decepcionar-se e se afastar para não se “machucar novamente”, sim esta é mais uma forma de relação: Cidadão x Político.

Na verdade a imagem do político tem se sobreposto à dos partidos, ainda que os cargos que exerçam quando eleitos pertençam aos partidos. Mas, este é um dos muitos valores invertidos na atual sociedade, Onde a personalidade do político define a idoneidade do partido! Isto é: “Me digas com quem andas que lhe direi quem és!

Foram apresentados partidos como o PMDB, PSDB, entre outros, é uma pesquisa importante e fundamental para quem gosta de abordar política nos debates e conversas entre amigos. Tem números, que para quem gosta de fatos, dá até para fazer a prova real e quem sabe mudar os conceitos!

Toda mudança gera insegurança, já me utilizei por diversas vezes desta frase feita, mas é a verdade o coronelismo está se extinguindo e levando ao descrédito os seus partidos.

Pois independente dos resultados da eleição de 2012 onde a preferencia partidárias nos vereadores variam entre 11 e 9% para os partidos como PT (11%), PMDB (10%), PSDB (9%), nenhum destes alcançam ou melhor conquistam os 40% do eleitorado que não simpatizam com os partidos e a forma contemporânea de conduzir a política no Brasil.

Para estas pessoas, que ainda não se convenceram, só falta desenhar como uma forma mais clara de compreender o recado, pois este já foi dado! E neste sentido urge a necessidade de uma reforma político partidária, principalmente na condução das políticas, para evitar a crise, ainda que eu particularmente acredite que as vaidades não permitam a muitos enxergarem essa a realidade.

É compreensível que para estas pessoas seja difícil entender que seus status de deuses e semideuses acabaram e devem se “humanizar…” Entender que seus reinados acabaram, pois na próxima eleição só será diferencial aquele (pessoas e/ou partidos) que conquistarem o que hoje chamamos de votos “inúteis”.

Os próximos líderes políticos têm que reconquistar a confiança dos cidadãos céticos e decepcionados depois de tantas traições declaradas e obscenas. Precisarão despertar a necessidade, mas acima de tudo a esperança de que é possível um futuro melhor para todos. Resgatar o entusiasmo por uma vida vívida, envolvida e participativa.

As pessoas que hoje combinam a qualidade intelectual com a habilidade comunicacional, além de um currículo idôneo é que terão esta missão, assim como do convencimento a um debate político ideológico confiável. Sem este, não haverá opositores e nem mesmas as organizações partidárias sobreviverão. Somente aquelas pessoas e partidos que conseguirem desarticular o atual e fictício cenário implantado pelo governo estabelecido e seus asseclas terá a chance de sobreviver e sobrepujar os debates políticos com fins eleitorais.

Desta forma vejo com bons olhos e urgência uma renovação dos partidos políticos, de figuras políticas e de uma mudança radical na condução das políticas administrativas no Brasil.

Existem 40% de eleitores (54.000.000) de uma população continental que não acredita na política vigente e um mercado a se conquistar por novos empreendedores. Estes 40% é que serão o diferencial para eliminar a velha política e criarmos uma nova cultura política, politizada e não politiqueira.

Ana Paula de Carvalho, uma Brasileira que nunca desiste!

Anúncios

Sobre Ana Paula Carvalho Silva

apc_anapaula@hotmail.com
Esse post foi publicado em Civilidade.com.BR, Início, Movimento LUTO por Maricá, Opinião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s