AS FALHAS LATENTES

Os ânimos estão exaltados, e com certa razão, não existe desculpa para o abandono! Governos sucessivos primam em seus discursos, por atribuírem consecutivamente a culpabilidade do seu insucesso ás gestões anteriores. Isso demonstra nada mais do que a falta de maturidade política, que existe neste país e mais explicitamente em Maricá, o qual venho acompanhando há certo tempo. Não descarto as boas intenções de alguns políticos, mas sabemos que disso o Inferno está cheio e ainda pior é a dissimulação dos fatos.

Para tal, devo evidenciar que muitas coisas não procedem conforme esclarecido pelo secretário. É fato que as crianças tardiamente (fim do ano passado) receberam o uniforme que é feito em MG, não se vêem melhorias de obrigação municipal de nenhum tipo, a febre do gasto de 9 milhões em licitação carnavalesca para Tanguá, também conforme os demais desvios de verba não trazem inclusive receita para o município de Maricá.

Bater no peito e dizer que fez ou fizeram aquilo para o qual estão sendo contratados como servidores públicos que são, não é nem de perto a conduta moral apropriada para ser publicada, não nos traz beneficio nenhum, até mesmo porque o eleito, seja quem for, deve utilizar meios legais de ressarcir aos cofres públicos como contrapartida, com pelo menos aquilo que lhe será pago como salário durante o seu mandato, de outra forma gerará prejuízo.

Todos os lugares necessitam de creches, estradas de rolagem, prédios públicos e privados em bom estado de conservação, hospitais com atendimentos dignos, infra-estrutura para os residentes e incidentais (turistas). Portanto, utilizar argumentos de forma patética, dizendo que uma casa que tinha algum vínculo com a localidade, que foi abandonada há própria sorte, será recuperada não é motivo de alegria e sim de profunda tristeza, por terem deixado toda uma estrutura urbana chegar a esse ponto.

Acho que pessoas sérias só devem fazer comentários quando superam a média de resultados, nem o básico deve ser evidenciado. A autopromoção de eventos que nunca tiveram adesão (50.000 pessoas no evento de moto em Ponta Negra!?), os quais não vimos transitando em momento algum por nossas castigadas vias, que não foram apresentados os valores de lucratividade dessa massa humana (imagino que se cada um tivesse gasto R$ 10,00 teriam entrado R$ 500.000 de faturamento para o comércio local!) ou outro qualquer que vivem publicando na página oficial do município, também chamada de Ilha da Fantasia por suas matérias fantásticas!

Já houve um tempo em que se dizia que um país se fazia com homens e livros, hoje vejo que não temos nenhum dos dois, porque se existem homens certamente não sabem para que servem os livros, e se existem livros também não servem ao homem de forma alguma. Temos uma população de ignorantes que acreditam que são capazes de fazer o bem coletivo pensando na sua individualidade, elegemos criaturas (pois não podem ter outro nome), que seguindo a cultura das últimas décadas, aproveitam para fazer o seu pé de meia e colocarem o burro na sombra pelo resto da vida.

Há muito tempo que Maricá está no caminho errado e ainda que estejamos tentando colocar nos trilhos, existe mais gente contra do que a favor, os motivos são diversos, não querem se envolver ou serem envolvidos, não acreditam que as coisas podem ser diferentes e melhores, não sentem a necessidade de terem um futuro melhor para os seus ou a si próprios.

Podemos dizer que as pessoas são peculiarmente indolentes e acomodadas na sua pequenez e pobreza de espírito, dessa forma não existe futuro possível. E pensando nisso, acho muito apropriadas as palavras que seguem abaixo, que servem para todas as pessoas, mas deveriam fazer parte em tempo integral do vocabulário especificamente daqueles que querem ser formadores de opinião e também dos que querem de todos os modos nos governar.

O desrespeito aos padrões se desenvolve através de uma exposição prolongada a uma atmosfera de indiferença, ocasionando assim a fuga da informação. O fato de você não conhecer o problema não significa que este não exista.Por isso Um líder não tira vantagem da sua posição para tomar atalhos, assim como No caso de ter cometido algum erro como líder, admita prontamente e corrija, pois a forma correta será Corrija o problema e não a pessoa a menos que o problema seja a pessoa.

A disciplina somente será forjada pela congruência de palavras e ações. Por este motivo, Não devemos deixar um individuo indisciplinado ocupar um cargo importante em nossas vidas, porque se assim o fizermos pode levar a uma percepção errada de que nós toleramos estas condições. Se atentarmos para os fatos, perceberá que Quanto mais tempo os problemas e inoperâncias existirem, mais profundamente se enraizarão na cultura local, sendo assim temos ciência que O erro é parte normal do comportamento, a persistência no mesmo é que evidenciará o desvio de conduta.

Um bom líder deve Lidar com os problemas, direta e documentalmente, para evitar denuncias vazias, pois estes costumam ter uma postura agressiva quando questionados sobre suas atividades, então Não se irrite com a fonte de informação, utilize a sua presença como sendo de críticas construtivas, porque só assim poderá Direcionar a atenção e os recursos na abordagem dos problemas que tenham sido observados em todos os escalões. As Falhas Latentes, que são aquelas ás quais nos acostumamos e passa a fazer parte de nossa vida, são as que mais prejudicam, porque se tornam parte de nós também. Aceitar a mediocridade e amadorismo de atitudes e decisões que deveriam ser profissionais, acaba por nos converter no que são os Maricaenses hoje.

Não devemos combater apenas os sintomas, mas as causas nas suas raízes. O que aconteceu recentemente na votação da câmara não foi uma derrota para os vereadores, foi sim, uma enorme derrota para a população que foi solidária ao governo, possivelmente por acharem que suas vidas estão plenas. O que mais chocou de modo geral foi a falta de prestígio daqueles vereadores que votaram a favor e seus eleitores não os avalizaram, como também para todos nós que escrevemos incansavelmente na tentativa de informarmos melhor a todos os que necessitam e tem sede de conhecimento situacional. Ao final desta batalha estávamos todos sozinhos com nossos pensamentos, tentando entender porque é tão difícil prosperar num lugar que tem tudo, menos consciência, para dar certo.

Ana Paula de Carvalho, membro do Movimento Luto por Maricá

Anúncios

Sobre Ana Paula Carvalho Silva

apc_anapaula@hotmail.com
Esse post foi publicado em Civilidade.com.BR, Início. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s